Voo (poema dia dos namorados)

•11 de junho de 2011 • Deixe um comentário

Voo

É você quem me vence

no cosmos dos seus olhos

por você eu caminho

em minhas descobertas.

Minha ânsia nasce e morre

escorrendo das mãos da sua chama

pois a noite não existe

no dia que você apaga.

A cada abraço da sua força,

eu tropeço nas dúvidas,

atravessam-me  os medos,

mas me descortino

e me entrego.

Dalila Balekjian

clique no pps abaixo

Voo

ou veja no youtube

 

http://animoto.com/play/4PO0gk0aO7R0AJ9XOmDT5A

Anúncios

Dia de Sol

•17 de maio de 2011 • Deixe um comentário

Livro “Dalila Prosa & Poesia”

Dia de sol

O azul está no céu,
o verde no mar,
e na linha do horizonte
as cores se misturam.

Há dentro de mim
(a me chamar)
vontade de sair
e sentir a força da vida
pulsando em cada
gota do mar
ou espaço do céu;

ouço murmúrios de alegria
que o vento espalha
passando pelos telhados
e entrando pelas portas
e janelas abertas.

Nas ruas as pessoas
caminham ao encontro
desse sábado que começa
despertando em todos

o desejo de que, como hoje,
a esperança de dias melhores
amanheça sempre dentro de todos nós.

Dalila Balekjian

Ver no youtube

http://www.youtube.com/watch?v=-Fgui5zXuQs

O Ponto de Ônibus, poema de Dalila Balekjian

•10 de maio de 2011 • Deixe um comentário

 Livro ” meta morfoses”

O Ponto de Ônibus

subi no ônibus e não tem lugar
na vida também não tem
lugar para parar e ficar
os minutos correm
com o tempo que se dissolve
e a praça ficou longe
com os dígitos trocando

a janela anda com a paisagem
brincando com o sol que troca de lado
e a sombra teima em não levar o calor
que pinga nomeu rosto

as ideias derramam-se
e se soltam da boca
como bolhas no ar

bicicleta e carrinho
mais carroça de pipoca
e o Zé da esquina vende milho
queria comprar paciência a quilo
e ser sábia e quieta como um lago

passou do ponto
e te vi à minha espera
olhando para o lado
onde deveria chegar
e eu me pergunto
se algum dia conseguirei
descer do ônibus
no lugar certo…

Dalila Balekljian

 

 

“Mãe”, poema de Dalila Balekjian

•2 de maio de 2011 • Deixe um comentário

Livro “Dalila Prosa & Poesia”

http://static.animoto.com/swf/w.swf?w=swf/vp1&e=1304339597&f=S15VEXjNSzXWepU6dsjWCg&d=36&m=b&r=360p&volume=100&start_res=360p&i=m&options=

Create your own video slideshow at animoto.com.

A tua minha-luz

•27 de abril de 2011 • Comentários desativados em A tua minha-luz

Livro ‘meta morfoses”

A tua minha-luz

 

quero ser o teu raio de sol

molhando cores sobre a calçada

 

o teu brilho nos olhos

deitando sementes

e ardendo o teu desejo

 

a chama que guarda

o teu amor no meu cio

 

e acordar na manhã

de manso o teu sono

no calor do meu corpo

 

dalila balekjian

 

 

 

 

 

 

Oração da Páscoa

•14 de abril de 2011 • Deixe um comentário

Livro “Dalila Prosa & Poesia”

Oração da Páscoa ( Apelo ao desarmamento)

E porque Deus fez as flores
estou aqui para lhes dizer
que vendo seu brotar
eu descobri
que além do seu perfume
sua festa de cores
sejam rosas , margaridas ,
(quaisquer delas)
existem para mostrar
que o mundo
a nos cercar ,
assim como a alma
de que somos feitos
se renova a cada
semente e em toda
esperança que nasce…

E a Páscoa nos faz lembrar
que o reflorescer
é o amanhã que deixamos
em nossos filhos ,
nos livros que escrevemos ,
naquilo do que somos
e que serviu
para abrir portas
braços e mãos
num gesto de amor…

Unamo-nos enfim
numa só oração
para que a violência
que nos atinge ,
e ao o mundo que nossos pais
nos legaram e que em tudo
tentam destruir ,
seja salvo pela certeza
em cada um de nós
de que o desarmamento,
como o amor,
parte de cada coração!

Amém

dalila balekjian

Mãe Terra

•11 de abril de 2011 • Deixe um comentário

Mãe Terra

Bendigas Terra
os teus filhos,
quais sejam
as suas pátrias,
e que reines tu também
nos nossos corações
tal mãe que ilumina.

Dá-nos a visão
de que todos
aqui neste planeta
são irmãos
diante do Universo
para assim não
prejudicarmos ninguém
para obter
as fontes de água,
energia,
alimento,
enriquecimento
ou pedaço de chão.

Mostra-nos como criar
as ferramentas
materiais,
intelectuais,
emocionais
e virtuais
que derrubem
as nossas diferenças
de origem,
raça ou credo,
podendo assim
olharmos um para o outro
sem outro sentimento
a não ser o de amor.

Amor que distribuis
hoje fartamente
com essas fontes
e que no amanhã
a densidade demográfica,
poluição,
degelo
e tantos outros problemas
nos unam a todos do planeta
num mesmo esforço
ao invés de promover
guerras e desuniões.

Dalila Balekjian

 
%d blogueiros gostam disto: